sexta-feira, 29 de junho de 2012

Na era do consumismo, teremos de ser tão sóbrios quanto possível nesta loucura consumista. Em particular os exemplos que podemos dar aos nosso filhos e netos é muito importante. Como refere um anónimo no seu livro Falidos!!, Um Grito de Esperança no Meio da Crise, "não é preciso desperdiçar para viver, delapidar o que se pilha ao futuro e às nações pobres" e que "a vida se constroi com o que se vê e aprende" e não com o que se tem ou com que ambicionamos. É a importância do ser em relação ao ter.
O excesso de oferta, aliado a alguma perda de valores, leva-nos a educar os nossos filhos nesta ganância tonta de ter tudo o que se quer, não haver limites para nada. Começamos a habituar-nos à ideia que a felicidade é a "satisfação fútil de possuir uma migalha desse mundo", como refere esse autor.


Sem comentários: